Translate

domingo, 9 de março de 2014

O Velhão: um universo paralelo na Serra da Cantareira

Idealizado pelo Sr. Moacyr Archanjo dos Santos – o visionário funcionário de uma empresa de ônibus, que, durante seu tempo livre, visitava e observava casarões antigos, igrejas e monumentos da São Paulo do início da década de 1960 –, o conjunto arquitetônico situado na estrada de Santa Inês, 3000, na Serra da Cantareira, em Mairiporã, pertinho da zona norte de São Paulo, foi quase todo construído com material de demolição reciclado, que começou a ser adquirido pelo Sr. Moacyr durante suas andanças pela cidade.

Entre os anos de 1977 e 1978, Moacyr iniciou no local, juntamente com sua esposa, Iracema, a construção de um casarão e de uma oficina. Hoje, o complexo é formado por capela, escola, posto de saúde, bares, restaurantes, antiquário, lojas, serralheria e marcenaria.


A fachada d'O Velhão, na Serra da Cantareira

A entrada da parte principal do complexo
Após o falecimento do marido, Iracema continuou capacitando jovens da comunidade local nas oficinas de marcenaria e serralheria, razão pela qual construiu uma cozinha para uso dos funcionários. Porém, começaram a surgir clientes para a cozinha, que foi então transformada no restaurante “As Véia”, onde estivemos para o nosso café da manhã do post de hoje.

Forno à lenha do café da manhã self service do "As Véia":
Por onde eu começo?!
Meu primeiro pratinho, modesto, que foi repetido algumas vezes

Já conhecíamos o Velhão de algumas outras ocasiões. Estivemos no “As Véia” para o jantar num sábado à noite em julho de 2012 e simplesmente nos apaixonamos pelo lugar! A partir de então, já levamos familiares e amigos para a pizzaria “As Pizza”, já fomos à “Cervejaria das Nova”, almoçamos no próprio “As Véia” algumas vezes, tomamos muitos cafés no “Café do Véio” e estávamos curiosos pelo café da manhã d’As Véia, servido aos sábados, domingos e feriados, com bolos, café no bule, pães, frutas, sucos, frios etc., no sistema self service, num fogão à lenha.

É pra comer “até dizer ‘chega!’”. Muito bom! O ambiente é acolhedor a qualquer hora do dia, o clima da Serra é muito gostoso em qualquer estação do ano e o lugar merece ser visitado e revisitado diversas vezes!
  
Pátio do "As Véia"
Interior do "As Véia" à noite
Interior do "As Véia" à noite
Pizzaria "As Pizza"
Bar "Conspiração do Jogo"
"Cervejaria das Nova"
"Café do Véio"
Nem todos os estabelecimentos do complexo aceitam cartões, então informe-se no site sobre os horários de funcionamento e formas de pagamento.

Muitas vezes já conseguimos vaguinhas grátis do lado de fora, mas em dias de mais movimento tivemos que utilizar o serviço de valet deles, que custa, em média, R$ 20.

Posts relacionados:


 

Atibaia II – Pedra Grande

 

Bairro da Serrinha: natureza, diversão, arte e gastronomia em Bragança Paulista

 

Nico Hamburgueria: um “túnel do tempo” no Ipiranga

 

Casarão da Freguesia, em Guararema-SP